“É realmente necessário contratar uma equipe especializada em Recursos Humanos para realizar o processo de seleção ou posso eu mesmo fazê-lo?” Essa é uma pergunta muito comum e frequente no meio empresarial, especialmente nas microempresas. Afinal, a primeira vista, o recrutamento e seleção parece algo bem simples: divulgar a vaga e selecionar o candidato que mais se adequa a ela. Assim o empregador, no intuito de economizar recursos, considera descartável a possibilidade de contratar uma equipe de RH para tal serviço. Entretanto, a longo prazo, o barato acaba saindo caro, pois um recrutamento e seleção feito sem o devido cuidado pode acarretar em uma série de prejuízos à empresa.

 

Um dos principais problemas causados por um processo de recrutamento e seleção amador, de acordo com a experiência da Insight com seus clientes, seria o aumento da taxa de turnover, isto é, movimento da rotatividade de colaboradores de uma empresa. Essa situação faz com que o empregador tenha gastos excessivos com processos de desligamento de funcionários, além de ter a sua produtividade reduzida, uma vez que leva tempo para que o novo funcionário seja devidamente treinado e produza com a mesma agilidade do antigo.

 

Mas qual é a relação do aumento da taxa de turnover com o processo de recrutamento e seleção de funcionários? A resposta é simples: é nesse processo que um bom candidato é selecionado e, para o bom funcionamento da empresa em questão, deve ser escolhido o candidato certo para a vaga certa. Todavia, para essa escolha ser feita da maneira correta, é necessário um amplo entendimento de técnicas organizacionais, além de um olhar treinado e perceptivo. Com uma equipe de RH trabalhando em conjunto com o empregador, as chances de se contratar funcionários perfeitamente adequados cresce consideravelmente.

 

E como a equipe de RH sabe qual é o candidato certo? Para isso é necessário perpassar por diversas etapas. A primeira delas é o levantamento de perfil do candidato. O empregador comunica a equipe quais são as características técnicas e comportamentais que são essenciais para o candidato perfeito, alinhado com os objetivos e valores da empresa (fit cultural). Também devem ser informadas características que podem ser consideradas diferenciais ou irrelevantes. Tudo isso ocorre com um direcionamento da equipe de RH em relação ao que é importante pontuar, que características comportamentais e técnicas são mais relevantes de acordo com o objetivo do cliente. Com isso, define-se estrategicamente qual o perfil que deve ser buscado nas etapas de seleção.

 

No processo de seleção, existem dois momentos: a entrevista comportamental e a dinâmica de grupo. Na entrevista comportamental, as perguntas são elaboradas com base no mapeamento de competências traçado pela equipe e pelo cliente. Cada pergunta é feita para identificar, de modo estratégico, se o candidato possui determinada competência ou não. Não é feito um roteiro imóvel de perguntas objetivas, mas sim perguntas elaboradas que permitam um maior conhecimento sobre o candidato em questão. Nas dinâmicas de grupo, são realizados exercícios que testam, na prática, se o candidato realmente possui o perfil adequado. Cada dinâmica é pensada também de modo estratégico para avaliar uma determinada competência, sendo os candidatos sempre observados por pessoas da equipe de RH.

 

Com todas essas etapas, é evidente que o processo de Recrutamento e Seleção feito por uma empresa especializada é mais complexo, mais minucioso e mais assertivo. Com uma equipe bem preparada, a empresa é capaz de selecionar funcionários que agregam valor, fazem carreira e aumentam a sua produtividade. Contratar uma empresa de consultoria em recursos humanos não é um custo, mas sim um investimento, nas pessoas e no seu negócio.

 

– Thais Paiva